segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Thignon Boy


Foto Ninho do Albatroz.

Thignon Boy, fam. 1-w, alazão, Paraná, 2000, por Thignon Lafre e Betina Girl por Mat Boy, de criação e propriedade do Haras Valente, 17-8-1-1, foi um corredor de muito boa qualidade, venceu dos 2 aos 4 anos, dos 1600 aos 2400 metros. Sua vitória no GP Brasil o consagrou como o melhor cavalo em atividade no país em 2004 – Troféu Mossoró.




Seu pai Thignon Lafre, 9-5-3-0, venceu os GP São Paulo, 2400 m – G1, GP Derby Paulista, 2400 m – G1, GP Jockey Club de São Paulo, 2000 m – G1, foi segundo colocado nos GP J Adhemar A Prado – Taça de Prata, 1600 m – G1 e GP Pres Rafael A Paes de Barros, 2400 metros – G2. 

Thignon Lafre a primeira vista indica apresentar um baixo aproveitamento clássico, mas, de seus 9 ganhadores Black-type, 7 o fizeram em provas do mais alto patamar, além de Thignon Boy apresentou nessa esfera a Roxinho (GP Ipiranga, GP Derby Paulista, GP Jockey Club de São Paulo - Tríplice Coroado Paulista), Balxiza (GP Derby Paulista, 3. GP Carlos Pellegini – Arg) , Lewis (GP Cruzeiro do Sul), Estrela Anki (GP Zélia Peixoto de Castro), Energia Cósmica (GP Linneo de Paula Machado – Grande Criterium), Valiantness (GP OSAF) e mais os vencedores e/ou colocados em demais grupos Salustiano, Vasuveda, Alcazar, Mr Lafre, Sinitron, Rebequista, Whisper Boy, After Sister, Interfab, etc.

Thignon Lafre.


Foto Ninho do Albatroz.

Seu avô paterno Henri Le Balafré, correu dos 2 aos 4 anos, tendo sido apresentado nas pistas 13 vezes, para obter 5 vitórias, 2 segundos e 1 terceiro lugares. Venceu o Prix Royal Oak, 3100 m, G1 – FR e Premio Roma, 2000 m, G2 – ITY; 2. Prix de Fontainebleau, 1600 m, G3 – FR; 5. Prix Eugene Adam, 2000 m, G2 – FR. Regionalmente venceu o importante Grand Prix de Lyon, 2400 m, L – FR. 

Produziu 21 individuais ganhadores de grupo, sendo 11 em grupo 1. Foi pai de Ás de Pique (GP São Paulo), Ken Graf (GP São Paulo), Fantastic Dancer (GP ABCPCC – Copa Matias Machline), Pour Henri (Derby Paulista), Quintus Ferus (GP Ipiranga), Outra Arumba (GP Diana), La Greve (GP Diana), etc

Henri Le Balafré.


Sua mãe, Betina Girl, sem destaque nas pistas. Como reprodutora produziu 3 elementos, dois correram e dois venceram, Thignon Boy é o seu melhor filho. Seu avô materno Mat Boy é considerado na reprodução um “gigante genético argentino”, foi parelheiro de extrema categoria, 13-11-2-0, principais resultados:

           EUA:
-         1. Widener H, G1, G, 2000 m – venceu por 10 corpos, Hialeah Park,
-         1. Gulfstream Park H, G1, G, 2000 m – venceu por 12 corpos, em recorde 1’59’00, Gulfstream Park,
-         2. Pan American H, G2, G, 2400 m,

Argentina:
-         1. GP de Honor, G1, G, 2500 m –  venceu por 38 corpos, 3’6”2/5,
-         1. GP Republica Argentina, G1, G, 3000 m – venceu por 13 corpos, 2’33”4/5,
-         1. Cl. Chacabuco, G2, G, 3000 m –  venceu por 17 corpos, 2’35”2/5,
-         1. Cl. Comparación, G2, G, 2500 m – venceu por 10 corpos, 2’34”3/5

Mat Boy.



Do veio familiar de Thignon Boy podemos destacar, Team (Champion 2 anos na Argentina, Carrera de las Estrellas, G1), Golfer (Polla de Potrillos, G1), Royal Bay (Polla de Potrancas, G1), La Costa Azul (Polla de Potrancas, G1), no Brasil Empire Day (GP J Adhemar A Prado – Taça de Prata, G1, Champion 2 anos), Old Tune (GP Margarida Polak Lara, G1), etc.

Além de Mat Boy, ele reúne em sua linha baixa até a quarta geração uma sucessão de craques do porte de Mountdrago (gigante genético argentino) e Utópico, na quinta geração aparece El Curaca, pai e avô materno de singular êxito na Argentina.

Thignon Boy em sua vitória no GP Brasil - 2004.


                                        

                                                  Campanha

2 anos

6. Prêmio Esportes Rádio Banda B, 1200 m, ALN, Tarumã,
2. Prêmio Asociación Latinoamericana de Jockeys Clubes, 1500 m, GRP, Cidade Jardim,
8. Grande Prêmio ABCPCC – Criterium Paranaense, G3, ALN, Tarumã,
1. Prêmio Edgard Garcia, 1600 m, GB, Cidade Jardim,

3 anos

1. Prêmio Sociedade Hípica Paulista – 92 anos, 1600 m, GRP, Cidade Jardim,
12. Grande Prêmio Ipiranga ***, 1600 m, G1, GRP, Cidade Jardim,
1. Prêmio Dirty Dancer, 1600 m, GM, Cidade Jardim,
3. Grande Prêmio ACPCCP – Taça Pinheiro de Ouro, G3, 1600 metros, ALN, Tarumã,
1. Prova Especial Linneu Ferreira do Amaral, 1900 m, ALN, Tarumã,
1. Grande Prêmio 14 de Março, G2, 2400 m, GP, Cidade Jardim,
1. Grande Prêmio Oswaldo Aranha, G1, 2400 m, GM, Cidade Jardim,
6. Grande Prêmio São Paulo, G1, 2400 m, GP, Cidade Jardim,

4 anos

8. Grande Prêmio Dezesseis de Julho, G2, 2400 metros, GB, Gávea,
1. Grande Prêmio Brasil, G1, 2400 m, GB, Gávea,
1. Grande Prêmio Copa ABCPCC – Matias Machline, G1, 2400 metros, GB, Gávea,

UAE

4. Elnadim Handicap, 2200 m, GF, Nad Al Sheba,

5 anos

12. Etisalat Emirates Cup - Invitacional, 1800 m, GL, Nad Al Sheba.

Obs. Thignon Boy sentiu nessa prova, sendo alçado por seu jóquei, e foi retornado ao Brasil para servir na reprodução.


A linhagem de HURRY ON.


Hoje Thignon Boy é o único representante vivo do veio masculino de Hurry On no turfe mundial e curiosamente vêm através de uma linhagem de melhores filhos, Precipitation – Sheshoon – Sassafras – Henri Le Balafré – Thignon Lafre. 

Precipitation. 


Sheshoon. 


Sassafras.


Sassafras derrotando Nijinsky no Arco do Triunfo.


Cabe aos criadores brasileiros a decisão, em oferecer ou não, as condições para se buscar manter a sobrevivência dessa linhagem, e Thignon Boy possui plenas possibilidades para tal. Como posição no mercado internacional percebe-se hoje uma busca por "novos sangues", Calumet Farm levou para seu "pool" de sementais a Bal a Bali, um raríssimo continuador da linhagem masculina de Man O'War. A genética alemã é disputada no mercado europeu para "refrescar sangue", Allegretta, mãe da notável Urban Sea (Galileo, Sea The Stars e Born to Sea) é basicamente sangue alemão. A criação nacional deve acreditar em nossos garanhões, em nossos Icecapades, Put It Backs, assim como o Japão acreditou em Sunday Silence, a Austrália em Danehill. 

O Japão recentemente importou do Brasil matriz Christine's Outlaw... Por qual razão o mercado externo não compraria filhos de nossos bons Icecapades como Universal Law, High Chris, Tônemaí ou Poker Face? 

Acreditar em Thignon Boy pode vir a ser uma interessante estratégia futura de mercado por sua raridade genética.

Entendemos que as melhores oportunidades para o perfil de Thignon Boy sejam filhas de cavalos de média distância ou milheiros com éguas pertencentes a linhagens de velocidade, Redattore, Ay Caramba, Manduro, Molengão, Setembro Chove, Pounced, Wild Event, Christine's Outlaw, Agnes Gold, Silent Name, Cape Town, Vettori e também Out of Control com seu espetacular sangue argentino seria outra opção a se destacar. Ao analisarmos a sua muito reduzida produção à de se notar que é esse exatamente o perfil dos pais das éguas com as quais obteve produção vitoriosa e útil.

P.S. Essa feliz redescoberta de que Thignon Boy encontra-se aos 18 anos gozando de excelente saúde, foi fruto da troca de ideias de um grupo de amigos turfistas. E o mais importante é saber que duas éguas de excelente qualidade, uma filha de Ay Caramba e a outra de Manduro, ambas sobre linhas de velocidade, foram selecionadas por seus proprietários e serão ofertadas para seu serviço.  

P.S. Nesse estudo não pude deixar de relembrar a LEWIS, crioulo do Haras LLC, e com o qual ganhei um BELÍSSIMO trocado quando de sua vitória no GP Cruzeiro do Sul, vencendo Sal Grosso, Timeo, Moryba, Another Xhow, Grapette Repete...

Lewis vencendo o GP Cruzeiro do Sul - 2010.



Não conheço o dr. Claudio Ramos, titular do Haras LLC, mas deixo aqui uma despretenciosa sugestão para uma sua égua, a Nossa Prosa. Como não sei se ele conhece o nosso blog, peço que se algum amigo leitor conviver da sua proximidade, a gentileza de mostrar a ele o hipotético cruzamento abaixo. Tudo pensando no MUITO BOM Lewis...



Thignon Boy encontra-se alojado no Haras Valente.