terça-feira, 21 de novembro de 2017

Tônemaí




Tônemaí, Fam. 16, castanho, RS, 2006, Wild Event em Onda por Jules, criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Haras Uberlândia, animal extremamente sadio e consistente correu dos 2 aos 6 anos, vencendo na grama dos 1500 aos 2400 metros em 8 oportunidades, o Grande Prêmio Francisco Eduardo de Paula Machado, G1, foi a sua principal vitória. Trata-se de um filho de Wild Event, 1. Early Times Turf Classic Stakes, G1, 1800 m; 1.W.L. McKnight Handicap, G2, 2400 m e 1. Keeneland Breeder’s Cup Mile Stakes, G2, 1600 m; mas é na reprodução que Wild Event se destaca sendo um dos mais notáveis reprodutores que já serviram no Brasil, semeando em nosso estoque genético suas qualidades. Pai até esta feita de 20 G1, entre eles o citado Tônemaí, Fluke, Poker Face, Daniel Boone, Esfinge, o Derby-winner argentino Eu Também, as vencedoras do Diana na Gávea Smile Jenny, Hunka Hunka, Cruiseliner, a Diana e Cruzeiro do Sul-Derby brasileiro Daffy Girl, a tríplice-coroada Old Tune, Double Trouble (USA), Brujo de Olleros, recordista dos 1600 metros em Maroñas, e Sing-A-Song (Uy), os recordistas Volly (1100 m - CJ) e Tokay (1400/1500/2100 m – Cristal),  já se apresentando também como avô materno de extremo sucesso através de Baccelo, Dolemite, Take The Stand (USA e Arg), etc... 

Sua mãe, a importada Onda é uma vencedora na grama nos 1300 e 1500 metros tem em Tônemaí seu primeiro e único produto, Ostora sua segunda mãe produziu Labirinto, um G3, sendo que sua terceira mãe My Darling One foi uma muito boa égua de pistas, 1. Fantasy Stakes, G1, 1. Fair Grounds Oaks, G3 e 3. Kentucky Oaks, G1, sendo mãe e avó de ganhadores e colocados em provas de grupo, Heart Lake, G3, Darling Flame, G3, Framelet, G3 e Beluga, G3. 

Wild Event.




Jules seu avô materno foi precoce e veloz, em 11 apresentações conseguiu 4 vitórias e 4 colocações, 1. Nashua Stakes, G2, 1600 m, foi seu melhor resultado, filho do excelente Forty Niner (campeão aos 2 anos), tem como segunda mãe Raise The Standard, uma filha de Natalma (mãe de Native Dancer), que produziu a clássica Coup de Folie, mãe de Machiavellian, Exit to Nowhere, Coup de Genie, Hydro Calido e  outros. Como reprodutor Jules se mostrou superior a sua campanha e confirmou as esperanças depositadas em sua régia linhagem, com 4 gerações obteve sólidos números, 11,63% de filhos ganhadores em provas Black Type e 18,10% ganhadores e colocados nessas provas, de seus filhos destacam-se Quick Road, G1, Quatro Mares, G1, Must Be Flying, G1, Notificado, G1, New Famous, G1, Mastro Lorenzo, G2, Match Box, G2, Millenaire, G2 e outros vencedores de grupo.

Tônemaí em sua vitória no GP Francisco Eduardo de Paula Machado, G1,





                                                  Campanha

2 anos

7. Prêmio Waldmeister, 1400 metros, AB, Gávea,
1. Prêmio Membro do Conselho Consultivo 1984/1988, 1500 metros, GM, Gávea,

3 anos

2. Prêmio Diretor Tesoureiro do JCB – Construção do Hipódromo, 1600 metros, GB, Gávea,
5.Grande Prêmio José Paulino Nogueira, G3, 1600 metros, GP, Gávea,
4.Clássico Sandpit, L, 2000 metros, GM, Gávea,
1. Prêmio Ramirito, 1500 metros, GP, Gávea,
8. Grande Prêmio Estado do Rio de Janeiro, G1, 1600 metros, GM, Gávea, 
1. Grande Prêmio Francisco Eduardo de Paula Machado, G1, 2000 metros, GP, Gávea,
13. Grande Prêmio São Paulo, G1, 2400 metros, G1, GM, Cidade Jardim,

4 anos

1. Grande Prêmio Dezesseis de Julho, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
3. Grande Prêmio Brasil, G1, 2400 metros, GM, Gávea,
1. Grande Prêmio Doutor Frontin, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
2. Grande Prêmio Antonio Joaquim Peixoto de Castro Junior, G2, 2400 metros, GE, Gávea, 
5. Clássico Presidente Rafael ª Paes de Barros, L, 2400 metros, GM, Cidade Jardim,

5 anos

10. Grande Prêmio Brasil, G1, 2400 metros, GM, Gávea,
1. Grande Prêmio Doutor Frontin, G2, 2400 metros, GB, Gávea,
1. Grande Prêmio Antonio Joaquim Peixoto de Castro Junior, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
3. Grande Prêmio Almirante Marquês de Tamandaré, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
1. Grande Prêmio João Borges, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
18. Grande Prêmio São Paulo, G1, 2400 metros, GM, Cidade Jardim,

6 anos

4. Grande Prêmio Dezesseis de Julho, G2, 2400 metros, GP, Gávea,
6. Grande Prêmio Brasil, G1, 2400 metros, GM, Gávea,
3. Grande Prêmio Doutor Frontin, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
4. Grande Prêmio Antonio Joaquim Peixoto de Castro Junior, G2, 2400 metros, GM, Gávea,
7. Grande Prêmio Almirante Marquês de Tamandaré, G2, 2400 metros, GL, Gávea,
4. Grande Prêmio Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, G3, 2200 metros, AB, Gávea,


Tônemaí além da sua já comentada saúde e versatilidade apresenta pedigree extremamente aberto, o que facilita em muito a sua utilização como reprodutor. Só possui inbreedings em sua quarta e quinta geração, tendo apenas uma passagem em Northern Dancer através do saudável de locomotores Northfields e também uma passagem por Mr Prospector por meio de Forty Niner, um mensageiro saudável, ambos em sua quarta geração. Cabe destacar que Tônemaí possui um RF sobre Natalma em sua quinta geração, o que é de fato um importante ponto de força em seu pedigree. Com apenas 3 produtos em idade de corrida, geração 2014, Tônemaí tem em sua filha Magnetic Eyes, uma neta de Fast Gold (Mr Prospector) sobre Minstrel Glory - The Minstrel – Northern Dancer, sua primeira vitória como garanhão numa eliminatória de 3 anos.

Assim como a “honestidade” de Ski Champ, os sucessos de Wild Event, Christine Outlaw, Silent Times e do recentemente falecido Fluke na reprodução entre nós, Tônemaí deixa transparecer de imediato que a pujança no Brasil de Icecapade é de fato algo que chama atenção de qualquer hipólogo do PSI e como já comentamos em outra oportunidade tornando o nosso turfe no grande baluarte dessa linhagem a nível mundial. Confiamos que Tônemaí com o excelente trabalho que o Haras Uberlândia vem demonstrando e na qualidade com a qual esse campo de criação vêm construindo seu plantel de matrizes encontrará plenas condições para seu sucesso e conseqüentemente do haras que nele apostou suas fichas.

Resta a pergunta: Se Tônemaí fosse nascido nos USA com uma campanha similar seria economicamente viável para um criador brasileiro importar animal de tal padrão? E que os defensores do belo matungo ou mesmo o levemente mediano importado, aqueles que ganham comissão com a vinda desse tipo de cavalo, não venham com a tese de que vitória e/ou colocação em qualquer G2, G3 e outros tipos de prova no exterior seja a toda forma superior as poucas provas de G1 brasileiras em razão do nível de seleção... A tudo cabe análise, nos USA por exemplo a quantidade de G2 e G3 é absurdamente enorme e algumas categorias como stakes, handicaps e listeds são absolutamente inumeráveis, o que torna qualquer análise para importação de algum cavalo para garanhão algo muito criterioso, seja ele de onde for e vier.

E se pensarmos bem sempre haverá os Duraque da vida vencendo um ou outro G1...