segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Os “Fórmulas 1” da temporada 2018


Histórica fotografia de Risota, a maior matriarca do turfe brasileiro em todos os tempos, com Rabat ao pé. Foto por José Laudo de Camargo.



O raríssimo inbreeding Fórmula 1, é  considerado por diversos estudiosos como dos mais efetivos para a produção de grandes animais, tanto em corrida como na reprodução, e ofereceu internacionalmente para a temporada 2018 alguns indivíduos de muito elevada grandeza em pistas. Devemos lembrar que esse é um modo de endogamia que repete uma das mães diretas – linha ventral –  do produto na genealogia de seu pai.


Apresentamos abaixo esses ganhadores:

1 - MASAR, vencedor do Derby de Epson, etc, seu pai New Approach é um Galileo – Urban Sea, e sua mãe Khawlah é uma bisneta de Urban Sea. Ou seja, um 3 x 4 no modo Fórmula 1 sobre a matriarca e "Reine de Course" Urban Sea.






Obs. Em Masar não podemos deixar de destacar que ele reúne em seu pedigree uma linha masculina de Sadlers Wells (Galileo - New Approach) sobre uma filha de Cape Cross. Portanto, temos em um mesmo pedigree os dois garanhões mais bem sucedidos com Urban Sea, além de sua potencialização em inbreeding Fórmula 1. Um pedigree que certamente podemos definir como 100% Tesiano. 

2 - ACCELERATE, vencedor da Breeder's Cup Classic, etc, seu pai Lookin at Lucky é um filho de Smart Trike, que leva o sangue de Smartaire. Issue, a sua mãe, possui essa mesma égua em sua quarta geração ventral. Accelerate é um 5 x 5 no modo Fórmula 1 sobre Smartaire.






3 - ALMOND EYE, vencedora da Japan Cup, etc, apresenta um inbreeding 6 x 3 em Fórmula 1 sobre a grande mãe do turfe mundial Sex Appeal, através de Try My Best e Lotta Lace.





4 - TANTHEEM, sprinter vencedora do Prix de Meautry, etc, apresenta um inbreeding 4 x 5 em Fórmula 1 sobre a matriarca Allegretta.







Allegretta por sua vez foi também criada em modo Fórmula 1 sobre a grande mãe alemã Aster em um 4 x 5. 




5 - VOANDO SORRINDO, vencedor da mais considerada prova de velocidade brasileira, o GP Major Suckow, possui um inbreeding 5 x 5 em modo Fórmula 1 clássico - sobre Risota nas duas linhas maternas de seus pais.





Obs. Quanto a Voando Sorrindo consideramos que ele pertence a um tipo de performer exatamente igual ao grande chefe de raça Danehill, um "falso" sprinter, ou seja, aquele tipo de velocista que vêm de alcance e cuja distância ideal está compreendida entre os 1200 e 1400 metros. Danehill sempre vinha a partir dos 1000 metros! Infelizmente a programação clássica brasileira não contempla provas para esse tipo de corredor e nunca Voando Sorrindo poderá nos brindar com demonstrações a plena carga de sua imensa qualidade.



Estátua de Danehill, o grande ícone moderno do inbreeding Fórmula 1.